Meu perfil




BRASIL, Sul, JACAREZINHO, Homem, de 15 a 19 anos, Informática e Internet, Música, TV e Novelas

Galeria Vip: A Senhora que mudou nosso Destino

.
Quando eu soube que a novela Senhora do Destino iria ser reprisada no Vale a Pena Ver de Novo, da Globo, fiquei indignado pois com tantas novelas antigas boas no arquivo, a emissora carioca iria colocar novamente no ar uma história que todos conheciam e ainda estava fresca em nossa memória. Porém, quando a novela reestreou em Março, não me contive e resolvi assistir novamente, e não é que acabei gostando de ver a reprise, tanto que chegava atrasado na faculdade pois antes de sair de casa preparava o video para gravar as emoções de um grande sucesso que realmente valeu a pena ter visto de novo, agora com o fim da reprise, fica uma tristeza pois não veremos novamente a garra da Maria do Carmo (Suzana Vieira), as atrapalhadas de Giovanni (José Wilker) e as maluquices da grande vilã Nazaré (Renata Sorrah) e por último - não veremos novamente o grande ator Raul Cortez em cena. Enfim, concluo que foi bom rever essa grande novela de Aguinaldo Silva que conseguiu manter os índices de audiência da antecessora Mulheres Apaixonadas, agora nos resta saber se a reprise de Alma Gêmea terá fôlego suficiente para manter a audiência herdada.
.

Escrito por Jéfferson Balbino às 16h39 [ ] [ envie esta mensagem ] []

Tela do Entretenimento: A Fazenda (final)

.

Emoções na final de A Fazenda

.

.

Mesmo com toda a festa, os finalistas, Dado e Danni, terão que se concentrar para a grande final de domingo. Pela primeira vez, os confinados acompanharão junto com o público a edição do programa. No campo de provas estarão reunidas centenas de pessoas, entre convidados, amigos e familiares dos confinados. O programa contará com a participação dos 12 ex-peões e terá diversas surpresas ao vivo.

 

A maior surpresa, porém, será o anúncio do vencedor de A Fazenda. E cabe ao público a decisão de quem deve ganhar o programa.

 

Sobre o programa

A Fazenda, que estreou no dia 31 de maio, é a versão brasileira do programa The Farm, sucesso em mais de 40 países. Com duração de 12 semanas, o reality show mostrou um lado desconhecido de 14 famosos - entre atores, cantores, modelos e personalidades da mídia - que tiveram suas habilidades rurais testadas sob a forte tensão do confinamento em uma fazenda em Itú, cidade do interior de São Paulo.

 

Recorde de Audiência

O programa consolidou altos índices de audiência para emissora. Até o programa exibido no dia 20 de agosto, A Fazenda registrou quase 11 horas de liderança, ou seja, exatamente 642 minutos, segundo dados do Ibope Grande São Paulo.

 

O recorde de audiência do programa foi no dia 11 de agosto, quando alcançou 21 pontos e 40% de share, contra 16 pontos da emissora concorrente na mesma faixa de horário. Nas edições de terça-feira, quando foram exibidos os Desafios Semanais, que definiam o primeiro participante da "Roça", a atração registrou 17 pontos de média, pico de 25 e share de 26%.

 

Às quartas-feiras, dia de formação do "Tá na Roça", o reality show também obteve ótimos índices de audiência. A média consolidada foi de 16 pontos, pico de 25 e share de 25%. O recorde das quartas-feiras foi de 19 pontos, pico de 25%, no dia 19 de agosto.

 

Nos domingos, dia de eliminação, A Fazenda também registra, até o momento, 16 pontos de média, 25 de pico e 29% de share. No último domingo, com a eliminação de Pedro Leonardo, o programa registrou o melhor desempenho, na comparação com os domingos anteriores, com média de 18 pontos. O resultado garantiu ao programa, pela primeira vez desde a estreia, a liderança no ranking das audiências.

 

Confira quem foi eliminado do programa:

 

 

1º Tá na Roça - 07/06

Luciele Di Camargo, Franciely Freduzeski e Mirella Santos

SAIU: Franciely Freduzeski

 

2º Tá na Roça - 14/06

Jonathan, Babi Xavier e Danielle Souza

SAIU Babi

 

3º Tá na Roça - 21/06

Jonathan, Miro Moreira e Theo Becker

SAIU Theo Becker

 

4º Tá na Roça - 28/06

Fabio Arruda, Pedro Leonardo e Dado Dolabella

SAIU Fabio Arruda

 

5º Tá na Roça - 05/07

Danni Carlos, Dado Dolabella e Miro Moreira

SAIU Miro Moreira 

 

6º Tá na Roça - 12/07

Carlinhos da Silva, Luciele Di Camargo e Fabiana Alvarez

SAIU Luciele

 

7º Tá na Roça - 19/07

Mirella Santos, Dado Dolabella e Jonathan

SAIU Mirella

 

8º Tá na Roça - 26/07

Jonathan, Dado e Danni Carlos

SAIU Jonathan

 

9º Tá na Roça - 02/08

Danni Carlos, Dado Dolabella e Fabiana Alvarez

SAIU Fabiana Alvarez

 

10º Tá na Roça - 09/08

Danni Carlos, Dado Dolabella e Dani Souza

SAIU Dani Souza

 

11º Tá na Roça - 16/08

Pedro Leonardo, Danni Carlos e Dado Dolabella

SAIU Pedro Leonardo

 

12º Tá na Roça - 19/08

Carlinhos, Danni Carlos e Dado Dolabella

SAIU Carlinhos

.
Dado e Danni felizes com visita de Jonathan
.

A visita de Jonathan Haagensen no início desta madrugada de sexta-eira deixou Dado Dolabella e Danni Carlos felizes da vida. A Fazenda está vazia e a companhia do ex-participante deixou o clima festivo entre os dois finalistas.

Logo que chegou, Jonathan entregou aos dois peões um buquê de rosas para cada um. O visitante afirmou que a iniciativa era dele próprio. O ator carioca é chegado em dar flores às pessoas que gosta.

"Pô, essa é a primeira vez que eu recebi flor de homem", comentou Dado, ao agradecer o presente. "Essa é minha total. Gostaria de retribuir (o convite para voltar à fazenda)", disse Jonathan. É que os finalistas tiveram o direito de pedir o retorno de um dos ex-participantes. O ator carioca permanecerá algumas horas na casa.

Depois da chegada do convidado, o trio foi ao interior da sede para tocarem um pouco de violão. "E as músicas? Vocês 'tão' fazendo muita música. Vocês estão demais. Doze músicas, é? É um CD já, né?", quis saber Jonathan, que fez questão de ouvir as últimas composições dos finalistas. Eles entoaram as suas mais novas canções para o amigo.

Danni abraçou muito o ator carioca. A roqueira queria agarrar e beijar Jonathan a todo tempo. Ele dava muita risada toda vez que isso se repetia. "Gente, é muita emoção. Você e o Mãozuco no mesmo dia. É demais!", disse a cantora.

"Eu sinto saudade física. É saudade física. Mãozuco 'tá' ferrado, ele vai ficar sem poder respirar", comentou a cantora, enquanto apertava o visitante com toda a sua força.

TV Record

.

Escrito por Jéfferson Balbino às 15h47 [ ] [ envie esta mensagem ] []

Mundo Twitter

Escrito por Jéfferson Balbino às 13h11 [ ] [ envie esta mensagem ] []

Bastidores da TV: Record na liderança com Hoje em Dia

.

A participação do humorista Carlinhos Silva, 29, no programa "Hoje em Dia" desta quinta-feira (20), deixou a Record por vários minutos com o triplo da audiência da segunda colocada no horário, a Globo. A informação é da coluna "Ooops!", do UOL.

De acordo com informações da coluna, por volta das 10h a Record liderava com 15 pontos no ibope, enquanto a Globo marcava cinco pontos no horário em que exibia trechos do "Mais Você" e da "TV Globinho". Os números são referentes à medição em tempo real, ainda não consolidada.

.

Escrito por Jéfferson Balbino às 13h06 [ ] [ envie esta mensagem ] []

Espaço Aberto: Guerra entre Globo e Record

.

NOTA DE ESCLARECIMENTO

        A Rede Record tem sido vítima de seguidos ataques de outros meios de comunicação. Os mais agressivos partem de um concorrente que não tolera o sucesso de outra empresa e tenta a todo custo manter o seu monopólio. A principal razão para essa postura desesperada é a tentativa de impedir que a sociedade brasileira tenha liberdade para escolher sua programação de TV preferida.

        Diante dos agressivos ataques, a Record vem a público esclarecer:
 
1- A Record tem como um dos seus clientes a Igreja Universal do Reino de Deus, a IURD.
 
2- No momento, a IURD adquire contratualmente, através de cessão de horário, durante as madrugadas, aproximadamente 180 horas de programação mensal na Rede Record, com cobertura nacional 150 horas mensais na Record Internacional, que está disponível em mais de 150 países inserções comerciais durante o dia na programação da Record. E ainda, 180 horas de programação na Rádio Record AM.
 
3- Algumas publicações tentam comparar esta negociação com o faturamento comercial de nossa principal concorrente durante a madrugada. Mas esquecem de apontar que nossa concorrente, segundo a imprensa, comercializaria breaks comerciais de aproximadamente 3 minutos por hora entre uma e sete da manhã, e que, segundo as especulações, poderia faturar com isso 50 mil reais por hora. Enquanto o nosso contrato disponibiliza o grande volume de inserções previstas no item anterior. Vale ressaltar que outras redes de televisão também comercializam espaços na madrugada, durante o dia e até o chamado horário nobre para igrejas que divulgam ali mensagens e trabalhos sociais.
 
4- Apesar de todos os ataques, o contrato entre as duas partes segue o regime jurídico legal e comercial comum a todos os meios de comunicação. Nesta operação, são emitidos os documentos fiscais pertinentes, e todos os impostos e contribuições previstos em lei são recolhidos.
 
5- Como empresa, somente no ano de 2008 a Record contribuiu com mais de 120 milhões de reais em impostos, taxas e contribuições. Atualmente, gera mais de 11 mil empregos diretos em todo o país, incentiva a cultura, apoia e realiza obras sociais e investe em novos conteúdos e programas sempre em busca de contribuir para o desenvolvimento de nosso país.
 
6- A Record acredita na Justiça, no trabalho de seus magistrados e na isenção do Poder Judiciário do Estado de São Paulo e do Brasil.
 
        A Record assegura que manterá a estratégia de buscar a liderança em todos os segmentos que atua. Sempre com um só objetivo: oferecer uma televisão democrática, independente, com jornalismo sério e entretenimento de qualidade para toda a família brasileira.
  
 
São Paulo, 19 de agosto de 2009.
REDE RECORD DE TELEVISÃO

.

Após 16 anos, Record compra documentário "Muito Além do Cidadão Kane"

Como parte dos esforços para atacar a Globo, a Record fez uma aquisição poderosa: comprou o documentário "Muito Além do Cidadão Kane" ("Beyond Citizen Kane"). A emissora fechou o negócio nesta semana, mas já havia tentado adquirir os direitos de exibição para TV brasileira nos anos 90. Segundo apurou a Folha Online, o material saiu por menos de US$ 20 mil para a emissora do bispo Edir Macedo.

Reprodução
Produtor John Ellis vendeu os direitos de exibição para Record
Produtor John Ellis vendeu os direitos de exibição para Record

Desde a semana passada, quando Globo e Record começaram a se atracar em rede nacional, o nome da produção voltou à baila. No entanto, quase tudo o que se diz sobre ela --de sua suposta proibição à autoria do trabalho-- é equivocado.

A Record já vinha veiculando trechos do documentário em seus telejornais noturnos antes da aquisição. O filme chegou a ser citado no "Repórter Record" de domingo (16).

Transmitido pela primeira vez em 1993, no Reino Unido, "Muito Além..." mostra o empresário Roberto Marinho (1904-2003) como ícone da concentração da mídia no Brasil --daí a referência a Charles Foster Kane, magnata das comunicações vivido pelo cineasta Orson Welles em "Cidadão Kane" (1941).

Simon Hartog, diretor da obra, morreu em 1992, antes de o trabalho ser exibido. Seu produtor e braço-direito era John Ellis, que se tornou a partir daí o responsável pelo projeto. Ellis deteve, até o começo dessa semana, o direito de exibição do filme em TV aberta no Brasil, agora na mão da Record.

Mesmo legendado de forma capenga, o documentário se transformou num "hit" no país antes da internet ser o que é hoje --ou seja, circulava em VHS. Custou cerca de US$ 260 mil [R$ 445 mil] à extinta empresa Large Door, na qual Hartog e Ellis eram sócios.

A produtora independente fez o longa para o canal britânico Channel 4, responsável por sua transmissão (a BBC nunca teve qualquer ligação com a produção, diferentemente do que a própria Record insiste em divulgar). Curiosidade: uma das maiores audiências do Channel 4 é o "Big Brother", também carro-chefe da Globo.

 Reprodução 
Site da Igreja Universal do Reino de Deus destaca o filme "Muito Além do Cidadão Kane" em sua página principal
Site da Igreja Universal do Reino de Deus destaca o filme "Muito Além do Cidadão Kane" em sua página principal

Bastidores

Em entrevista ao caderno "Mais!" publicada em fevereiro do ano passado, Ellis revelou que tanto Globo quanto Record tentaram comprar os direitos do filme nos anos 90 --a primeira para engavetá-lo, a segunda pare exibi-lo. Ellis disse também que o título nunca foi proibido ou embargado pela Justiça brasileira.

"A igreja [Universal do Reino de Deus] já tinha uma filial em Londres naquela época [começo dos anos 90]. Mas percebeu que haveria uma disputa judicial com a TV Globo a respeito das muitas imagens retiradas da programação deles. Então decidiu não comprá-lo", relatou o produtor.

Agora, a Record pode se concentrar em exibir os trechos "autorais" do filme, ou seja, limar as imagens da TV Globo e focar nos relatos e entrevistas.

Políticos como Leonel Brizola (1922-2004), Antonio Carlos Magalhães (1927-2007) e Luiz Inácio Lula da Silva --apresentado então como líder sindical-- falam sobre a emissora carioca no filme. "Nada se faz [no Brasil] sem consultar o dr. Roberto Marinho. É assustador", diz o cantor Chico Buarque, no início da fita.

Em outro trecho da entrevista à Folha no ano passado, este inédito, Ellis criticou o envolvimento da Iurd com a Record.

"Por que uma igreja deveria gastar seu dinheiro desse modo [em TV] quando há muitos assuntos urgentes que merecem seu dinheiro e atenção? Como eles respondem a isso?", questionou à época.

A Justiça recebeu neste mês denúncia do Ministério Público de São Paulo e abriu ação criminal contra Edir Macedo, fundador da Iurd, e mais nove integrantes da igreja, sob acusação de formação de quadrilha e lavagem de dinheiro. Procurada pela reportagem, a Record não confirmou tampouco negou a compra de "Muito Além do Cidadão Kane".

.

Escrito por Jéfferson Balbino às 20h33 [ ] [ envie esta mensagem ] []

.

Escrito por Jéfferson Balbino às 16h55 [ ] [ envie esta mensagem ] []

Tela do Entretenimento: A Fazenda (última roça)

.

.

Notas manhã

 

Dado "conversa" com o burro da Fazenda

Manhã agitada na Fazenda: Carlinhos e Dado acordaram a mil por hora. O humorista ordenhou a vaca, alimentou os animais foi para a cozinha esquentar o leite. O ator ainda cuidou da alimentação dos bichos. O galã aproveitou a manhã e trocou uma ideia com o burro.  "Às vezes eu me sinto que nem você, meio teimoso", lamentou-se um preocupado peão. Hoje é dia de Roça e um dos peões pode deixar a Fazenda.

 

Cachorro Max assusta os animais

Enquanto Danni limpava o galinheiro, Dado levou a vaca e seu bezerro para o pasto. Max surgiu na cerca e assustou os animais, mas Dado consertou a situação e conseguiu que concluir a tarefa.

 

Dado e Carlinhos estão preocupados com a Roça

Depois de terminarem as tarefas matinais, Carlinhos e Dado tomaram banho. A conversa no banho revelou preocupações, já que mais tarde alguém terá que colocar o Pé na Estrada e dar adeus à Fazenda.

 

 

Notas madrugada

 

Dado nega que esteja interpretando no programa

Dado Dolabella e Carlinhos da Silva conversam na sala de estar. O ator carioca tenta explicar algumas de suas atitudes dentro do confinamento, e insiste em dizer que não está interpretando, como costuma dizer o humorista.

"Eu acho que cativei algumas pessoas aqui", comenta Dolabella. Os dois engatam um papo sobre amizade. Carlinhos mostra-se receoso em considerar 'amigo de verdade' alguém que conheceu durante o isolamento. "Pra mim, dizer que uma pessoa é amiga é tão forte quanto dizer eu te amo", revela Carlinhos. Apesar disso, ele acredita que o vínculo que criou com Pedro Leonardo durante esse período será mantido fora da Fazenda. "A porta da minha casa estará sempre aberta para ele", conta Carlinhos.

 

Dado e Carlinhos resolvem diferenças

Em um tom bastante civilizado, Carlinhos e Dado resolvem algumas diferenças que surgiram entre eles. O comediante resolve explicitar todas as suas opiniões sobre o 'rival'.  "Não é porque você voltou tantas vezes (da roça) que você é o correto, é o certo", argumenta Carlinhos da Silva. Ele continua: "Eu juro que não esperava que o Pedro saísse. Acho que foi uma surpresa pra todo mundo que participou do programa", acredita o comediante. Carlinhos revela sua insatisfação com a saída do amigo.

 

Carlinhos revela que ficou surpreso com a saída de Pedro

Finalmente Dado Dolabella e Carlinhos da Silva concordam em algum tópico discutido nesse início de madrugada.  "Esse jogo fez um 'benzão' pra mim", admite Dado. "É uma experiência a mais na vida", apoia Carlinhos. E finalmente os dois conversam abertamente sobre a última briga entre eles. "Eu tava nervoso, revoltado. Não era com a poesia, tem poemas que eu gosto muito", revela o humorista. "De todo mundo que participou, eu nunca achei que o Pedro fosse sair. E aí comecei a pensar que as coisas eram mostradas de um jeito diferente."

"Meu maior intuito aqui dentro era mostrar pras pessoas o que eu sou. Cada um mostra a sua essência, qual é a sua matéria prima. Tanto tempo aqui dentro é difícil você esconder isso", argumenta Dado, sem entrar no mérito das várias discussões com os outros peões.

 

Depois de colocar os pingos nos "is", Dado e Carlinhos brigam de novo

O clima até parecia mais ameno, mas Dado e Carlinhos voltaram a discordar em vários assuntos sobre a vida no confinamento. Falta de coleguismo, brigas antigas e pequenas rusgas por conta da convivência forçada voltaram à tona, e os ânimos se exaltaram mais uma vez. Cansado de discutir de novo a mesma coisa, o humorista acaba encostando Dado contra a parede.

"Você concorda comigo que você teve muito mais falhas aqui dentro do que o Pedro?", questiona Carlinhos, alegando que o sertanejo nunca deu motivos para ser eliminado do reality show ou para ser rejeitado pelo público e por outros participantes. "Depende o ponto de vista", esquiva-se Dolabella. "Eu não acho, não. O Pedro foi amigo de todo mundo aqui dentro, de ponta a ponta". "Mas as pessoas tinham interesse em ser amigas do Pedro", insinua Dado. Carlinhos nem comenta a colocação do ator. "Se você ficou até agora, o público só tá vendo coisas boas de você", diz o impaciente Carlinhos.

 

Dado e Carlinhos falam de Pedro

Antes de se deitar, Carlinhos jogou conversa fora com o desafeto Dado Dolabella nesta madrugada chuvosa de quarta-feira. Nessa altura do campeonato os assuntos parecem ser os mesmos. O ator voltou a falar sobre a roça do domingo passado: "Lembra que eu falei para você antes da roça, tava achando que eu ia sair", afirmou o galã. Mendigo afirmou que Pedro também sentia o mesmo pela sua atitude um tanto quanto rude. Dado continuou a analisar sua vida no confinamento: "Por isso que eu falo: a gente tá vivendo aqui. A gente não tá aprendendo metade do que o povo tá aprendendo". O humorista concordou. Após a discussão séria que os dois tiveram, a civilidade reina entre os companheiros.

.

Escrito por Jéfferson Balbino às 16h44 [ ] [ envie esta mensagem ] []

Entrevista Especial: Reynaldo Boury

.

O nosso entrevistado especial de hoje, é um dos maiores diretores de TV do Brasil, com mais de 50 anos de carreira Reynaldo Boury conta nessa entrevista como foi dirigir tantas novelas de sucesso, como é o trabalho de um diretor, e muitas outras coisas da história de sucesso da nossa tão querida e amada televisão.  

 

Jéfferson Balbino: Como foi o inicio da sua vida profissional? É verdade que o senhor começou como cameraman?

 

      Reynaldo Boury: Faz tempo. Tirava fotos dos atores que estavam em cena, durante o Grande Teatro Tupy e TV de Vanguarda. Era a única maneira de verem como estiveram em cena, pois era tudo ao vivo. Fui convidado pelo Diretor Geral da TV Tupy, o Cassiano Gabus Mendes a ser cameraman. Aceitei na hora. Era 24 de agosto de 1954.

 

Jéfferson Balbino: Quais foram as principais dificuldades que o senhor enfrentou ao dirigir a maior novela da televisão brasileira, Redenção (que teve 596 capítulos)?

 

     Reynaldo Boury: Praticamente nenhuma dificuldade. Foram dois anos de um trabalho muito produtivo.

 

Jéfferson Balbino: Porque Redenção foi tão longa? E nunca pensaram em fazer um remake dessa clássica telenovela?

 

     Reynaldo Boury: A Lintas, Agência de Publicidade patrocinadora da novela, devido ao sucesso, foi ‘esticando’ a novela mantendo a cidade Redenção, como pano de fundo, trocando as personagens, as famílias. Só a personagem do Francisco Cuoco, o Dr. Fernando, atuou-nos 596 capítulos. A TV Globo chegou a pensar em um remake, mas não vingou.

 

Jéfferson Balbino: Com base em sua vasta experiência profissional, o que tinha na TV de antigamente, que falta na atual fase da televisão brasileira?

 

     Reynaldo Boury: Antigamente era muito artesanal. Mas todos os problemas eram superados pelo valor profissional. Dedicação. Está faltando.

     

Jéfferson Balbino: O senhor acha que as novelas influenciam no comportamento dos brasileiros?

 

      Reynaldo Boury: Com certeza. A ‘janelinha’ dita costumes, modas, comportamento social.

 

Jéfferson Balbino: Como funciona o relacionamento entre o autor com o diretor numa novela?

 

      Reynaldo Boury: Quando o Autor escreve e o Diretor dirige, tudo corre as mil maravilhas. Do contrário os problemas surgem, às vezes sem solução.

 

Jéfferson Balbino: Qual foi à cena mais difícil que o senhor já dirigiu?

 

     Reynaldo Boury: Todas as cenas são importantes. Não existe a cena mais difícil.

 

Jéfferson Balbino: Explica pra gente como o senhor lidava com a censura nas novelas? A censura também afetava a direção ou somente a autoria de uma novela?

 

     Reynaldo Boury: Era uma fase complicada. Os capítulos depois de prontos eram enviados a Brasilia para serem observados pelos profissionais da Censura Federal. Quando os cortes aconteciam, a ordem tinha que ser executada. Afetava tanto a Direção como o Autor. Muitas vezes a trama tinha que ser alterada, com grande prejuízo da obra.

 

Jéfferson Balbino: O senhor já se arriscou em lançar algum ator ou atriz que não tinha talento?

 

      Reynaldo Boury: Nunca. O talento sempre em primeiro lugar.

 

Jéfferson Balbino: E como o senhor administrava o ego dos atores?

 

      Reynaldo Boury: O ator é um ser humano,  sempre com ‘altos e baixos’ na maneira de agir. Portanto a cada um, tratamento especial, de acordo com o seu ego.

 

Jéfferson Balbino: Já teve algum atrito com algum autor ou ator/atriz?

 

      Reynaldo Boury: Alguns. Mas prefiro não citar nomes.

 

Jéfferson Balbino: Para o senhor o que garante o sucesso de uma novela?

 

   Reynaldo Boury: Vou usar as sábias palavras do Boni:”Para ser sucesso a novela tem que ter 80% de uma boa história e texto”.

 

Jéfferson Balbino: Cabe ao diretor a escolha do elenco de uma novela? O senhor tinha algum ator ou atriz preferido que sempre escalava?

 

       Reynaldo Boury: Antigamente, o elenco era formado pelo Diretor e Autor, sempre com a avaliação do Boni. Não existia a preferência por este ou  aquele ator ou atriz. Hoje, tudo é diferente. E eu, como quase todos, prefiro trabalhar com quem tem talento.

 

Jéfferson Balbino: O senhor dirigiu muitas novelas em preto-e-branco. Como foi o impacto da chegada da cor na televisão?

 

      Reynaldo Boury: A TV a cores mudou completamente o visual da Tv. Cenários, figurinos, maquiagem, iluminação. Foi uma nova era.

 

Jéfferson Balbino: A Margareth me contou que foi o senhor que apostou nela como escritora. Como o senhor percebeu que ela tinha talento para se tornar uma escritora?

 

      Reynaldo Boury: Quando ela cursava a Gama Filho, escrevia contos para passar o tempo. Para escrever para televisão precisava só um empurrãozinho, o que ela conta na entrevista é a pura verdade.

 

Jéfferson Balbino: A Margareth trabalhou em várias novelas, que o senhor dirigiu, como atriz. Como o senhor avalia o talento dela na arte de atuar?

 

      Reynaldo Boury: Redenção, quando ela tinha 9 anos, foi a única novela que atuou sob a minha Direção. Depois, na Globo, em alguns Caso Verdade. Nunca comprometeu, mas prefiro ela como autora.

.

Continua no próximo post...

.

Escrito por Jéfferson Balbino às 14h45 [ ] [ envie esta mensagem ] []

Entrevista Especial: Reynaldo Boury (parte 2)

.

 

 

Jéfferson Balbino: O senhor trabalhou com grandes nomes da telenovela brasileira. Conte-nos como foi trabalhar com os mestres da teledramaturgia como: Dias Gomes, Janete Clair, Cassiano Gabus Mendes?

 

     Reynaldo Boury: Sempre foi muito agradável, pois eles eram ou autores das novelas. Escreviam.  E eu, dirigia. Era fácil.

 

Jéfferson Balbino: O senhor dirigiu o programa Caso Verdade. Como o senhor avalia o formato desse tipo de programa, que infelizmente não existe mais na televisão?

 

     Reynaldo Boury: Foi uma excelente época. Bons atores e autores foram revelados. O formato nos permitia arriscar. Muitos deram certo. Outros, nem tanto.

 

Jéfferson Balbino: O remake de Irmãos Coragem (exibido em 1995) teve alguns problemas na direção que era do diretor Luiz Fernando Carvalho e em seguida passou para o senhor que deu narrativa mais acelerada. O senhor teve problemas em começar a dirigir a novela a partir do capítulo 80? Em sua opinião o que faltou no remake pra não ter repetido o estrondoso sucesso da primeira versão?

 

     Reynaldo Boury: Foi a partir do capitulo 36 e não do 80. O maior erro foi colocar Irmãos Coragem às 18 horas. O Luis Fernando Carvalho estava dando um ritmo de novela das 21 horas. Entrei, pois estava acostumado a realizar novelas das 18. Foi uma opção da empresa.

 

Jéfferson Balbino: E como foi trabalhar com o saudoso Paulo Ubiratan que ocupava a direção artística de Irmãos Coragem?

 

     Reynaldo Boury: O Paulo Ubiratan era tudo de bom. Não foi só em Irmãos Coragem que a Direção Artística era dele. Trabalhei com ele em várias novelas. Sempre fomos muito ‘afinados’.

 

Jéfferson Balbino: O senhor com seu filho (o diretor Alexandre Boury) dirigiram o filme Didi quer ser Criança. Como é dirigir no cinema, é a mesma coisa de dirigir pra TV?

 

     Reynaldo Boury:  Foi uma experiência um pouco tardia. Nunca tive oportunidade para dirigir filmes. Gostei. O filme foi rodado com duas cameras HD.

      Foi mais ou menos como fazer televisão

 

Jéfferson Balbino: A novela Sonho Meu foi um sucesso de audiência, e segundo informações veiculadas na internet, a novela teve cotada várias vezes de ser reprisada na sessão Vale a Pena Ver de Novo. Isso é verdade? A galera aqui do Blog é fã da sessão de reprises da Globo. O senhor sabe qual é o critério usado pela Rede Globo para reprisar novelas, já que tantos sucessos antigos nunca voltaram na sessão?

 

    Reynaldo Boury: Nunca fiquei sabendo que seria reprisada no Vale a Pena Ver de Novo. Mas dificilmente será. Na minha opinião, a Globosat deveria abrir um canal fechado só para reprisar novelas.

 

Jéfferson Balbino: Das novelas que o senhor dirigiu qual o senhor considera a melhor?

 

     Reynaldo Boury:Tieta. Disparada a melhor.

 

Jéfferson Balbino: E das que assistiu?

 

     Reynaldo Boury: Roque Santeiro.

 

Jéfferson Balbino: E o Alexandre, foi o senhor que descobriu o talento dele para dirigir?

 

      Reynaldo Boury: O Alexandre entrou na televisão como operador de video tape. Depois foi Editor de novelas. Ele dirigiu algumas cenas em Sonho Meu e depois o Jorge Fernando o convidou para dirigir novelas.

 

Jéfferson Balbino: O senhor co-dirigiu um dos maiores fenômenos de audiência na história da teledramaturgia brasileira, que foi a primeira-versão da novela Selva de Pedra, que conseguiu 100 pontos de audiência, em meio a tanto sucesso que o senhor já viveu nunca o sucesso lhe subiu a cabeça?

 

     Reynaldo Boury: Nunca. Assim como Selva de Pedra foi sucesso, também dirigi algumas novelas que não foram tão bem aceitas pelo público.

 

Jéfferson Balbino: Muito diretores como Wolf Maya, Marcos Paulo e até mesmo o saudoso Herval Rossano já atuou em novelas, o senhor nunca se interessou em atuar?

 

     Reynaldo Boury: Seria um grande canastrão como ator.

 

Jéfferson Balbino: Como foi dirigir a novela Minha Terra Minha Mãe, escrita por sua filha, e produzida na Angola?

 

     Reynaldo Boury: A novela Angolana foi um sucesso lá em Angola. Muito bem escrita pela Margareth. É aí que entra a famosa fala do Boni com relação ao sucesso de uma novela. Minha Terra Minha Mãe, foi produzida e gravada no Rio de Janeiro. “Importamos” 23 atores angolanos que por 6 meses ficaram no Brasil.

 

Jéfferson Balbino: O senhor chegou a dirigir o seriado Malhação, como foi para o senhor trabalhar com jovens atores nesse conceito moderno de teledramaturgia?

 

     Reynaldo Boury: Malhação é um grande teste para revelar atores, como foi o Caso Verdade. Muitos atores foram revelados e com certeza, outros virão.

 

Jéfferson Balbino: Para finalizar, gostaria que o senhor falasse pra nós como o senhor vê participantes de reality-show (como minha conterrânea Grazzi Massafera), entrar para o mercado televisivo com pouquíssima experiência profissional. O senhor que é um conceituado diretor de televisão condena esse tipo de fama?

 

     Reynaldo Boury:  Não posso condenar a Grazzi Massafera por entrar para as novelas. Ela tem talento. Agora é só aperfeiçoar.     

 

 

Jéfferson Balbino: Sr. Reynaldo muito obrigado por conceder essa entrevista para o NO MUNDO DOS FAMOSOS, fico muito feliz de ter um conceituado diretor como o senhor no meu humilde blog, parabéns pela sua carreira de sucesso e muitas felicidades!

 

Reynaldo Boury: Agradeço a oportunidade de poder dividir as minhas opiniões e conceitos sobre a televisão brasileira. Muito obrigado.

.

Escrito por Jéfferson Balbino às 14h34 [ ] [ envie esta mensagem ] []

.

Escrito por Jéfferson Balbino às 14h18 [ ] [ envie esta mensagem ] []

Espaço Aberto

O Espaço Aberto de hoje trás, como forma de homenagear nossa querida Nazaré (Renata Sorrah) que nessa semana se despede do Vale a Pena Ver de Novo, uma curiosidade referente à ela que anda circulando na internet, os apelidos que nossa tão adorada colocava nas personagens de Senhora do Destino. Confira!

.

.

Respostas: 1-G, 2-J, 3-H, 4-C, 5-I, 6-A, 7-E, 8-D, 9-F, 10-B

Créditos: Flávio Fonseca, O Japa

.

Escrito por Jéfferson Balbino às 13h55 [ ] [ envie esta mensagem ] []

Show de Interpretação: Renata Sorrah

.

Durante a reprise de Senhora do Destino a conclusão que chegamos é que o Show de Interpretação da novela ficou com a atuação da grande atriz Renata Sorrah, que fez da personagem Nazaré Tedesco uma das grandes vilãs da teledramaturgia brasileira. Como valeu a pena ver de novo as maldades dessa grande vilã, interpretada tão bem pela Renata, com certeza o destaque da novela ficou com Renata Sorrah, embora Suzana Vieira tenha interpretado muito bem também sua Maria do Carmo, a Naza caiu na boca do povo e foi a nossa Senhora do Destino durante todas as tardes...

.

Escrito por Jéfferson Balbino às 13h45 [ ] [ envie esta mensagem ] []

Foi Legal! Record Notícias

RECORD NOTÍCIAS

.

Achei legal o formato do Record Notícias, que é apresentado pela competente Luciana Liviero. A atração jornalística é exibida pela Rede Record, apenas para o estado de São Paulo e para os domicilios com Antena Parabólica, e vai ao ar de segunda a sexta-feira a partir das 13:15 horas.

.

Escrito por Jéfferson Balbino às 13h29 [ ] [ envie esta mensagem ] []